Feugiat nulla facilisis at vero eros et curt accumsan et iusto odio dignissim qui blandit praesent luptatum zzril.
+ (123) 1800-453-1546
info@example.com

Related Posts

Telefone (+351) 252 682 281
Email hvanimar@animar.pt

Cuidados a ter com o seu animal braquicefálico

Cuidados a ter com o seu animal braquicefálico

Animais braquicefálicos são cada vez mais populares no nosso país. A título de exemplo, o número de bulldogs franceses registados em Portugal aumentou mais de 8 vezes na última década (dados do CPC* entre 2007 e 2017). Infelizmente, dados oficiais de um estudo realizado pelo RVC** indicam que a maioria dos donos destes animais de focinho achatado não reconhecem os sinais de que o seu animal de estimação tem dificuldades respiratórias, achando normais os ruídos e os roncos que eles apresentam.

O que significa ‘braquicefálico’?

A palavra tem origem grega e significa “cabeça encurtada”.  Descreve qualquer animal cujo focinho tenha uma aparência achatada. Muitas vezes estes animais são também prognatas (têm a mandíbula saída – mais proeminente do que o maxilar superior).

Raças braquicefálicas

Algumas das raças caninas braquicefálicas mais populares em Portugal incluem os bulldogs franceses (frenchies), os bulldogs ingleses, os pugs, os boston terriers, os shih tzus e os boxers. Nos gatos temos como principais raças os persas e os exóticos.

Há quem aponte o aspeto ternurento como a principal razão de sucesso destas raças, mas não devemos descurar que, no cômputo geral, são também raças de temperamento muito dócil e bem disposto. Por isso não admira que os portugueses os venham a incluir cada vez mais nas suas famílias.

“Não há bela sem senão”

É importante referir que nem todos os animais de focinho achatado sofrem de problemas respiratórios. No entanto, a percentagem daqueles que sofrem para respirar é muito mais elevada do que nas outras raças.

Que problemas são mais comuns?

Dado o aumento de popularidade destes animais, nós temos visto um aumento no número dos que recorrem aos nossos serviços devido a complicações de natureza respiratório e não só que estas raças tendem a ter. Vamos explicar alguns dos problemas mais frequentes:

Problemas respiratórios – Síndrome do braquicefálico

Quando um médico veterinário fala em Síndrome Braquicefálica está a referir-se aos problemas respiratórios superiores (traqueia, laringe, faringe, nariz e boca) que estas raças normalmente apresentam. O simples ato de respirar normalmente pode ser um desafio para os animais destas raças. E porquê?

  • Animais de focinho achatado têm crânios mais curtos que os de focinho longo mas muitas vezes os tecidos moles que circundam a área da boca, nariz e garganta mantêm um tamanho desproporcional. Assim, existe mais pele e outros tecidos moles a circundar estas áreas o que significa que o caminho para passagem do ar fica dificultado ou mesmo obstruído por causa do excesso de tecido circundante. No Hospital Veterinário Ani Mar, têm-se realizado inúmeras cirurgias corretivas das narinas e do palato em animais braquicefálicos, devolvendo-lhes qualidade de vida porque a cirurgia lhes permite passar a respirar com maior facilidade.
  • Os cães não suam e uma das formas que têm de regular o calor é arfando. Os animais de focinho longo fazem-nos eficazmente, puxando ar para dentro e expelindo ar quente do interior rapidamente, através do nariz e boca. Os braquicefálicos não o conseguem fazer devido a uma cavidade nasal demasiado curta e incapacidade de inspirar e expirar eficazmente – vejam as diferenças:

https://www.facebook.com/TheMobileVetNurse4LessStress/posts/2077839108954791

  • Devido a estas diferenças, as raças braquicefálicas têm maior propensão de sofrer um golpe de calor. Isto é particularmente grave no nosso clima e infelizmente há casos fatais, mesmo em animais que não estavam a realizar exercício, basta que a temperatura ambiente se eleve. Animais destas raças, sobretudo quando têm excesso de peso ou já têm alguma idade correm maior risco de sofrer golpe de calor. É necessário tomar medidas para o prevenir.
  • A inspiração pode ocorrer por duas vias: pelas narinas e pela boca. Como já referido, o excesso de tecidos moles faz com que muitos animais braquicefálicos sofram de estenose das narinas. Isto resulta em dificuldades respiratórias, uma vez que ao inalar, o ar passa com dificuldade ou não passa de todo pelas narinas.
  • Os ruídos respiratórios como os roncos, estertores (som de “clique”) e estridores (som de “chiar”) que nos habituámos a ouvir nestas raças e às quais até achamos graça não são sons respiratórios normais. Indicam que o nosso fofinho de focinho achatado está em esforço para realizar cada respiração, mesmo quando está em repouso. Isto é particularmente exacerbado quando eles estão a dormir. Os animais braquicefálicas geralmente não são bons companheiros para as sestas, tal é o volume com que ressonam.

Reprodução, gravidez e parto

Muitas raças de braquicefálicos têm dificuldades em ter partos naturais. Os bulldogs franceses e ingleses necessitam muitas vezes de cesarianas quando entram em trabalho de parto porque, ao ter cabeças muito grandes, os cachorros não cabem no canal pélvico das mães.

Sem partos assistidos, estas mães correm elevadíssimos riscos de falecer durante o parto e os cachorrinhos também não sobreviveriam.

Tenho um animal braquicefálico, e agora?

Fique atento à respiração. Ouve sons de uma respiração forçada, nota que ele está sempre a arfar mesmo quando não está calor nem esteve a fazer exercício? Deve levá-lo ao médico veterinário para ver se sofre de: estenose das narinas, palato mole demasiado longo ou vias aéreas obstruídas. Na Ani Mar dispomos de soluções que melhoram a qualidade de vida e a capacidade respiratória destes animais.

Tenha atenção ao calor. Em dias de temperatura muito elevada, mantenha-os em locais frescos, não saia com eles à rua, coloque toalhas humedecidas em cima deles para baixar a temperatura corporal e mantenha água fresca à disposição.

Cuide da saúde deles. Sendo raças muito propensas a sofrer perturbações do sono, golpe de calor, ganhar peso, desenvolver problemas articulares, ter problemas de pele e sofrer de problemas respiratórios, os donos destes animais devem ter a noção que terão de dedicar mais tempo e esforço com a saúde deles do que com a maioria das raças de focinho longo.

Conte com a Ani Mar

Para todos os cuidados específicos que estas raças necessitam e mais dicas de cuidados especiais, saúde e nutrição para o seu braquicefálico, saiba que pode encontrar esses serviços no Grupo Ani Mar – Hospital veterinário Ani Mar na Póvoa de Varzim e clínicas em Esposende (Cão d’Água), Fão (Clínica Veterinária de Fão) e Vila do Conde (Clínica Veterinária dos Navegantes).

Para marcar consulta para o seu animal braquicefálico fale connosco. Pode fazer a marcação AQUI.

Ani Mar, Cuidamos com Carinho

 

 

 

 

*Clube Português de Canicultura

**Royal Veterinary College

Call Now ButtonLigar Agora