Feugiat nulla facilisis at vero eros et curt accumsan et iusto odio dignissim qui blandit praesent luptatum zzril.
+ (123) 1800-453-1546
info@example.com

Related Posts

Telefone (+351) 252 682 281
Horário Seg - Sáb 8h00 - 22h00
Email hvanimar@animar.pt

Filhos pequenos e cães na hora de brincar: Três ideias para juntar a família

Filhos pequenos e cães na hora de brincar: Três ideias para juntar a família

Quem tem cães e filhos com menos de 4 anos e uma vida atarefada sabe como é difícil encontrar tempo para brincar com todos, e muitas vezes quem acaba por ficar de parte são os nossos amigos de quatro patas. Isto não é obviamente ideal, porque brincar é uma parte muito importante do desenvolvimento do cão e ajuda a estreitar laços com os membros humanos da família! Mas como resolver este problema? O dia não pode ter mais horas e os cães e as crianças gostam de brincadeiras tão diferentes!

Será? Claro que há coisas mais difíceis para um cão, como montar legos ou brincar com bonecas, e há coisas que podem não gostar e que por isso não devemos de todo insistir, muito menos na presença de uma criança pequena! Mas há algumas coisas que podemos facilmente fazer em casa, mesmo sem ter jardim, que podem ser formas “naturais” de brincar para crianças e cães!

Vou falar de três sugestões que uso em casa, juntamente com algumas regras que é preciso ir ensinando ao cão e à criança gradualmente, e ANTES de juntar os dois no jogo! Como em todas as brincadeiras que envolvem um cão ou outro animal, é preciso sempre ter em conta que cada caso é um caso. Cada um conhece o seu animal e os seus filhos melhor que ninguém, por isso a responsabilidade de fazer ou não estas brincadeiras é sempre sua! Avance apenas quando tem a CERTEZA absoluta que ambos estão preparados para cumprir as regras, não se faz nada à experiência!

Dito isto, vamos passar à acção. No meu caso, de um lado temos uma criança de 2 anos e 11 Kg e do outro um Labrador de 5 anos e 36 Kg.

  • Caça ao tesouro

Qual é a criança que não gosta de uma caça ao tesouro? E o mesmo podemos dizer dos cães, porque puxa pelo instinto de caça e permite treinar o olfacto!

Há várias formas de fazer a caça ao tesouro, mas vou destacar duas. Para fazer numa divisão com pouco espaço, ou com um cão que se farta de andar à procura de coisas numa grande área (do tipo preguiçoso), podemos simplesmente usar uns 5 ou 6 copos de plástico duro ou madeira (aqueles de festa de anos vão durar 1 segundo…) e pedir ao cão para ficar sentado à nossa frente enquanto a criança esconde biscoitos (ou bolinhas de ração) debaixo dos copos. Podemos esconder em todos ou só em alguns copos, para ser mais desafiante para o cão! Depois a criança vem para ao pé de nós e damos sinal ao cão para começar a procurar os biscoitos! Podemos ir incentivando o cão com um “busca!”, incentivar a criança a fazer o mesmo e fazer uma GRANDE festa (com palminhas!) quando o cão encontra e come um biscoito, ou quando acaba todos!

Depois de todos os biscoitos encontrados, podemos voltar a sentar o cão e repetir, mas atenção que não queremos engordar o cão! O que eu sugiro é usar parte da ração do dia para a brincadeira, ou então compensar os biscoitos com menos quantidade de ração nesse dia!

A outra forma de fazer este jogo é manter o cão fora da divisão ou jardim e preparar a caça ao tesouro com a criança, escondendo biscoitos em vários sítios! Assim não precisamos de copos e podemos até esconder brinquedos do cão, se for mais aliciante para ele. Depois incentivamos o cão a procurar e vamos andando atrás dele (com a criança ao colo ou pela mão) e até podemos dar-lhe umas dicas se ele parecer perdido. Aqui podemos incentivar a criança a apontar para onde estão os tesouros!

REGRAS

Cão

– Saber sentar e ficar quieto a comando.

– Só avançar para comer os biscoitos quando lhe dão sinal.

– Não riscar a porta com as patas quando fica fora da divisão do jogo.

 

Criança

– Andar sempre junto dos adultos, pois pode ser derrubada pelo cão.

– Não comer os biscoitos do cão!

– Não levar as mãos à boca e lavar bem as mãos no fim!

 

  • Brincar aos cães

Nesta brincadeira vamos poupar o trabalho ao cão de ter de se adaptar à nossa forma de brincar e vamos fingir que somos cães! Aqui o importante é andarmos de gatas, pode ser à volta de uma cadeira, no jardim, etc. Temos de estar preparados para que a criança se suje e, claro, ter atenção a mãos na boca e coisas do género. Aqui o cão normalmente não tem de ser incentivado, porque acha graça naturalmente e encara este comportamento como um convite à brincadeira! Neste caso é importante que haja um brinquedo do cão por perto. Ele vai querer mordiscar porque é um cão, e mais vale mordiscar um brinquedo que uma mão. E tem que ser claro para a criança que só quem mexe no brinquedo do cão é o cão e os mais velhos! Ela pode ter o seu próprio brinquedo, que o cão tem de aprender a respeitar como sendo fora dos seus limites!

Podemos ir brincando com o cão quando ele se aproxima, e chamá-lo sempre a nós quando ele está a dar muita atenção à criança e pode magoá-la com o entusiasmo.

Claro que devemos ter cuidado com a atitude do cão perante a criança, e parar imediatamente a brincadeira se o cão está a querer derrubar ou ir para cima de nós ou da criança. A forma mais fácil do cão saber os seus limites nesta brincadeira é começar por brincar só com o cão nas primeiras vezes, e ir corrigindo os comportamentos menos desejáveis para que ele saiba brincar. Atenção que para corrigir basta ir orientando, afastando com as mãos, ou mesmo parar de brincar durante um minuto se ele passa a linha, retomando a seguir. Parar de brincar é o pior castigo!

REGRAS

Cão

– Não interagir físicamente com a criança! Manter a distância e ir só correndo à volta é divertido na mesma!

– Saber parar de brincar e ficar quieto a comando.

– Não ser possessivo com brinquedos.

– Saber identificar e respeitar os brinquedos da criança.

Criança

– Não provocar o cão com encostos, nem agarrar ou bater nele. Ele mesmo que leve para a brincadeira pode retribuir na mesma moeda.

– Não agarrar no brinquedo do cão, mesmo que o cão não esteja a brincar com ele no momento.

– Gatinhar o mais possível. Correr a pé é mais propenso a quedas aparatosas.

– Não levar as mãos à boca e lavar bem as mãos no fim!

 

  • “Busca”

E por fim o clássico! Jogar ao “busca” é sempre aliciante para os cães, e muitas vezes nem precisa de ser numa grande área. Assim que a criança começa a conseguir atirar uma bola, nem que seja 20 cm para a frente, acha muita graça a ver o cão ir apanhar!

Num espaço maior, claro que pode ser o adulto a atirar a bola com a criança ao colo, por exemplo, e ela acha graça na mesma! Também podemos dizer à criança para chutar a bola, assim que ela começa conseguir chutar. Também podemos depois inverter os papéis, colocar uma trela no cão e quem vai buscar a bola é a criança! Isto é uma excelente oportunidade para o cão treinar o “quieto” e vencer a tentação de ir atrás de todas as bolas. Ir recompensando o cão neste caso é muito importante!

REGRAS

Cão

– Largar a bola no chão para a criança ou o adulto apanharem.

– Esperar sentado que lhe atirem a bola. Preferencialmente só ir buscar a bola a comando.

– Nunca tentar roubar a bola das mãos do adulto/criança.

– Não ser possessivo ou agressivo quando tentam tirar a bola.

Criança

– Não tirar a bola da boca do cão.

– Não tirar a bola perto do cão enquanto ele brinca.

– Esperar pela licença dos adultos para pegar e atirar a bola, ou que os pais peguem na bola.

– Não levar as mãos à boca e lavar bem as mãos no fim!

 

E com estas sugestões espero que muitas mais famílias comecem a juntar as brincadeiras dos mais pequenos lá em casa! Se experimentou alguma destas sugestões ou tem outras, partilhe connosco nos comentários! Ficamos à espera!

 

Miguel Pessanha Pais